Afinal, o que diabos é este blog?

Akamine.wordpress.com é, antes de mais nada, uma tremenda falta de imaginação – não é um nome, é uma URL. E, consequentemente, é um convite ao fracasso editorial: é uma expressão difícil de se lembrar, não possui nenhum apelo e sequer indica a quê veio.

Essa escolha não foi acidental, contudo. A autossabotagem é uma velha conhecida; eu quero fazer as coisas, mas, quando as faço, não as considero boas o suficiente – e, na maior parte dos casos, elas não são mesmo. Aí, examinando o que deu errado, noto que a falha já estava posta desde o início, insidiosamente. Foi assim com a minha atividade semi-profissional na música, tem sido assim na minha carreira acadêmica.

Eis que, hoje, depois de quase três anos escrevendo, meio que o blog acumulou bastante material. Material suficiente para, agora, poder afirmar que eu sei que escrevo sobre história do rock, sempre com um pé na academia e o outro na cultura pop. Vez por outra, rola uma crítica, um exercício de ficção ou um comentário sobre algo fora do centro “clássico” do rock. Mas, no grosso, meu tema é o desdobramento desse gênero no período entre 1954 e 1984, com foco nos artistas americanos e britânicos, precipuamente.

Não vou explicar o que quero dizer com isso, mas, acredite, há nesta coleção uma unidade operante. Sei que não parece, mas, em linhas gerais, este é um trabalho quase biográfico. Por isso mesmo, e sem qualquer compromisso com periodicidade, este é um projeto para ser desenrolado ao longo dos anos vindouros – supondo que eles venham, é claro.