Na canhota · Rock

[Na canhota] Hasta siempre

Em fevereiro de 2001, os galeses do Manic Street Preachers subiram ao palco do Teatro Karl Marx, em Havana. Entre os 5000 presentes, estava el comandante.

O show foi intermediado pelo então ministro da energia do Reino Unido, o trabalhista Peter Hain, que convenceu seus contatos em Cuba sobre a posição ideológica de James Dean Bradfield (guitarra e voz), Nick Wire (baixo) e Sean Moore (bateria). Desde a visita de Billy Joel e Kris Kristoferson, ocorrida em 1979, nenhum artista major havia ousado furar o embargo comercial imposto pelos EUA.

A canção acima, “Baby Elian”, foi apresentada ao público pela primeira vez. A letra fala sobre Elián González, o menino que havia sido pivô de uma crise entre cubanos e norte-americanos em novembro de 1999. Após a execução, a banda presenciou Fidel, em pé, aplaudindo-os. “Foi a maior honra de nossa carreira”, declarou Bradfield, à época.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s