Discoteca Biográfica

[Discoteca Biográfica] Lapalco

lapalco

Artista: Brendan Benson

Selo/Ano: Startime, 2002

Produção: Brendan Benson e Jason Falkner

Notas pessoais: 2004. Pela primeira – e única – vez na vida, estava morando sozinho. Após anos, estava interessado em ter uma banda. Trabalhava na gestão de um curso de direito, mas me mantinha na sala de aula. Tinha voltado a fumar e a beber. Aprendi a apreciar, finalmente, a culinária japonesa. Lia muita porcaria. Criei um perfil no Orkut, mas logo desisti dele.

*

Não ouço este álbum há alguns anos e, certamente, já não gosto tanto de suas canções. Lapalco é o segundo disco de Brendan Benson e é, efetivamente, um álbum solo: o homem compôs todas as faixas e fez questão de tocar todos os instrumentos. Foi lançado cinco longos anos depois de One Mississippi, uma estreia promissora natimorta (em função de um sem-número de problemas contratuais com a Virgin). Na minha opinião, é uma singela vingança contra o mundo. Quer dizer, eu o ouvi como uma espécie de vendeta contra a vida que eu havia conhecido até ali.

Mas será Lapalco um bom álbum, objetivamente falando? Creio que sim, ainda mais se considerada a crescente impossibilidade social de se criar um bom disco. Entre os americanos de sua geração, está entre os melhores: unidade entre as faixas, produção lapidada, letras “espertas”, melodias algo memoráveis… É powerpop, na melhor tradição americana, filhote da escola dileta de Big Star e Todd Rundgren; e, por isso mesmo, também apresenta matizes mais britânicos: é impossível ouvi-lo sem considerar Kinks e Beatles. Musicalmente falando, isso quer dizer, sobretudo, melodias mais complexas que o padrão usual radiofônico e, ainda assim, assobiáveis e grudentas – “Life in D”, por exemplo, é construída sobre um riff simpático, que é solfejado no arranjo, e notas que parecem ir se desdobrando naturalmente, formando uma espécie de caminho. Por outro lado, como é próprio de Ray Davies e Macca, as soluções harmônicas que Benson propõe são sempre “autônomas”: quero dizer, canções como “Pleasure Seeker” ou “Good to me” possuem progressões que são “suficientemente” interessantes em si mesmas e não funcionam como “coadjuvantes” da melodia.

De toda forma, parece-me que as músicas ganham mais sentido quando ouvidas na ordem proposta no disco – claramente, Benson pensou Lapalco na tradição clássica do rock – porque contam uma espécie de estória. Explico: da ensolarada “Tiny spark” (“try to understand/that an oyster can only make a pearl/from a grain of sand/and from what I don’t know makes a girl”) à noturna “Jet lag”, passa-se um dia com Brendan, ora sonhando na bela “Metarie”, ora correndo na matutina “Folk singer” (“And every single day at eleven I’m home in bed in sleep heaven/Alone ‘cause my girl leaves at seven/Ain’t got time for my bed-in/She says ‘Stop pretendin’/’You’re not John Lennon'”), tomando umas no bar com “Good to me” ou levando um fora em “I’m easy” (“‘I’m easy’ – just a couple of words that you gotta say and it frees me/from the godawful eyes when it sees me/And it says, ‘You’re never gonna make it/Boy, you’ll never make it alone'”). Exagero meu? Pode ser que sim – eu tenho certeza que esse disco não foi gravado no dia 16 de junho -, mas é, sem dúvida, um álbum “de camadas”, que remete à vida cotidiana. Não é um dia na vida de Lennon e McCartney: é um dia na vida de um perdedor – e não há nada mais ofensivo a um norte-americano que ser um loser.

De Lapalco para frente, Brendan Benson gravou alguns outros bons discos, montou os Racounters com Jack White e, mesmo, esteve no Brasil, tocando no baixo Augusta. Não fui vê-lo, não me interessava mais. É provável que “Tiny spark” tenha sido muito mais importante na minha cabeça que para o resto das pessoas – o próprio Benson incluído.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s